Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, fevereiro 05, 2014

Nestes dias sombrios, poluídos, em que somos espoliados, manipulados, ofendidos, apetece-me o silêncio e o branco. Apetece-me a beleza silenciosa e branca. Arte em branco, se possível.


Venho no carro, o trânsito congestionado, e tento ouvir as notícias. Ontem ouvi o mentiroso compulsivo, aquele que foi eleito com base em mentiras e que, desde então, não tem feito outra coisa senão disparates e persistir nas mentiras, aquele que aumenta a dívida quando deveria, no mínimo, contê-la, a dizer, com ar convicto e puritano, que queria pagá-la, que não é dos que defendem a sua reestruturação, e, acto contínuo, afirmou, que queria rolar o stock da dívida. Eu estava no carro e não podia largar ali o carro e ir a correr até Massamá para lhe espetar uma tarte na cara ou lhe atirar um copo de água à cara. Juro. É que já só tenho pensamentos deste género em relação a estes fulanos que mentem, disfarçando as palavras. Na mesma frase disse uma coisa e o seu contrário. Rolar o stock da dívida, naquela estúpida novilíngua que fala, significa aquilo que se designa por reestruturar a dívida, negociando a sua maturidade, ou seja, a dívida que se vence daqui por um ano, renegociá-la para a pagar daqui por três anos ou pedir novo empréstimo para pagar este. Ou seja, empurrar com a barriga. 

Pois hoje não é que ouço os jornalistas todos a noticiarem que ele quer pagar a dívida, que é contra a sua reestruturação? Jornalistas burros! Não perceberam que ele disse isso mas que, na mesma frase, disse o contrário embora mascarasse as palavras de economês? Burros que ajudam à festa, contribuindo para a manutenção do embuste.

É a mesma coisa que eu dizer que quero emagrecer e, na mesma frase, dizer que quero manter o mesmo número líquido de calorias diárias. O zé-povinho percebe a primeira parte e não percebe bem o resto pelo que regista apenas a primeira parte. E não há um único jornalista que descodifique e diga: mas, se quer emagrecer, entre as calorias que ingere e as que gasta, tem que haver uma redução. Ora, se diz que as quer manter, é porque não quer emagrecer. Está a mentir.

Cambada de embusteiros. E cambada de jornalistas ignorantes. 

Fico piursa com isto. É que, a toda a santa hora, há coisas que indignam qualquer um. Não há paciência. Só à estalada.

Depois, como não consigo largar o carro e ir atirar tomates, copos de água, ou coisas do género, à cara desta cambada, mudo para a Antena 2 e ponho-me a ouvir ópera, ou uma pianada ou o que estiver a dar.

Aos poucos começo, então, a tranquilizar-me, a deixar que o silêncio me envolva, e, tantas vezes, embora esteja a conduzir de noite, começo a sentir-me envolta em branco.


Maravilhosa Danaïd, também conhecida por A Primavera - escultura de Rodin


Branco. Silêncio. Quietude. É o que quero em dias assim. Por favor. Um pouco de branco.





(Da trilogia das três cores, Branco, Azul, Encarnado)
 White - Krzystof KieslowskiIntérpretes: Zbigniew Zamachowski e Julie Delpy
Maravilhosa música: Zbigniew Preisner





Adágio Branco do Lago dos Cisnes de Tchaikovsky.
Bailarinos: Svetlana Zakharova, Andrei Uvarov.
Orquestra do Teatro Bolshoi 






White: A History of Art in Three Colours - apresentado por James Fox, BBC


In the Age of Reason, it was the rediscovery of the white columns and marbles of antiquity that made white the most virtuous of colours. For the flamboyant JJ Wickelmann and the British genius Josiah Wedgewood, white embodied all the Enlightenment values of justice, equality and reason.


*

NB: Este template do blogue tem vida própria e põe-me algumas linhas às cores embora eu não o queira. Queria ter esta página toda escrita a branco (com excepção para as palavras que contêm links) mas a verdade é que não consigo retirar as cores. Vai assim e um dia destes mudo o template.

8 comentários:

jrd disse...

Jornalistas?
Como diz Baptista Bastos, não passam de simpatizantes.
Mas o pior é que se vendem à linha...

Bob Marley disse...

A propósito do branco - https://pt.wikipedia.org/wiki/Ensaio_sobre_a_Cegueira

Bob Marley disse...

branco e brilhante - https://www.youtube.com/watch?v=FJB7gbjiJKw

Anónimo disse...

C'Os diabos, este Marley é o homem dos links!

Bob Marley disse...

contra o racismo (também a propósito do branco) - http://www.youtube.com/watch?v=6yVMik5Mfwk

Cavaco Cavaquices disse...

Olá, UJM,

Branco é bom sim, clean, decente. Hoje sinto-me ótima, não há mirós que me incomodem. Ontem, preferi falar de amores porque estou farta de cavaquices e miróices, que se lixe a troika e o país, a vida corre-me bem, vou mas é ser neoliberal, os outros não ganham é porque não prestam, eu é que sou boa.
O estado agora vai pagar indemnizações e despesas de milhões porque quis vender logo logo e depois quando poder vender mesmo, o pouquinho que sobrar a seguir ao desperdício, vai-se a ver e já não há, foi-se perdendo nos bolsos duns administradores parvalorems... a mim tanto se me dá, este país não merece mirós, ou acha que não vão parar a um sítio onde serão mais apreciados?
Mas a mim isso é coisa que não me aquece nem arrefece, já só me chateio quando o Benfica não ganha.

A comédia da semana: Fernanda Câncio escreve no twitter, durante o debate sobre praxes no P&C, que "não há paciência para este vera cruz". Os alunos revoltam-se. É ver para crer: troika, austeridade, o que é isso? Há honras a defender! Valores mais altos que se alevantam! (Sim, é o mesmo da candidatura com ultrapassagem do limite de mandatos)

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=789759504372301&set=a.296713580343565.89429.296632493685007&type=1
https://www.facebook.com/pages/Fernanda-Cancio-larga-o-Alcool/255123641330399?fref=ts
https://www.facebook.com/contrafernandacancio?ref=ts&fref=ts

É tudo coisa que me passa ao lado.

Boa noite,
JV

Anónimo disse...

Cavaco, Cavaquices,
aqui lhe deixo uma "provocação": embora não seja propriamente um fã de futebol, esse negócio corrupto a que chamam, erradamente, desporto, a única coisa que me dá gozo é quando o Benfica perde. Vamos lá ver neste Domingo e depois, mais tarde, lá mais para o fim do campeonato, no Dragão.
Abraço!
P.Rufino

Cavaco Cavaquices disse...

Caro P. Rufino,

Ai, provocações sobre o grande amor da minha vida!... Não consigo deixar sem resposta.
Então não liga muito ao futebol, mas dá-lhe gozo que o Benfica perca... Está a dar razão aos que dizem que há 2 clubes em Portugal: o Benfica e o... Anti-Benfica!
E não digo mais, porque a autora do Blog não deverá querer que este seu espaço se torne num campo de batalha clubística.

Um abraço para si também e todas as felicidades do mundo, com exceção das que lhe dão o Benfica!

JV