Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, fevereiro 04, 2014

Christie's cancela leilão da colecção Miró. Xavier Barreto diz que temeu que houvesse ilicitude na expedição dos 85 quadros para fora do País mas, assim como assim, deixou que a operação prosseguisse e pergunta se as pessoas preferem pagar mais pela saúde para manterem os Mirós. Fiquei pasma a ouvir as barbaridades que aquela estranha e irrelevante criatura disse e, sinceramente, duvido que esteja ligada à Cultura. Deve ser coveiro ou coisa do género.


El somriure de les ales flamejants

Joan Miró

Menos mal que a leiloeira Christie's tenha cancelado a venda dos 85 quadros de Joan Miró mas, ó senhores, teríamos nós, Portugueses, que passar por mais esta humilhação nacional? 


No meio de ilícitos e outras atitudes pouco claras, negligentes e ignorantes, teve que ser uma leiloeira que ainda por cima nem é portuguesa a perceber o ensarilhamento que ali estava armado?

Teve que ser uma leiloeira a travar mais uma barbaridade que esta gente desalmada e trapalhona queria levar a cabo?

Juro que isto me mete nojo. Nojo. Até me custa falar nisto. Sinto-me humilhada.

Estamos entregues à mais desqualificada gentalha de que há memória. Desprezam o povo, desprezam o património, desprezam a cultura.

Pergunto-me: todo este empobrecimento está a ser feito em nome de quê?

Pintura de Miró
(de quem já aqui falei algumas vezes)
Para pagar a dívida não é porque quando pegaram no governo ainda não tinha atingido os 100% e, depois disto tudo, já vai em cerca de 130%.

Para travar o desemprego também não é, porque o desemprego disparou brutalmente com eles.

Para travar a emigração não é, porque os jovens não param de fugir do país.

Para eliminarem as ditas 'gorduras de Estado' não é porque não pararam de crescer.

Para relançar a economia não é porque as falências dispararam dramaticamente.


Então, se não é para resolver os problemas do País, é para quê?

Para preservar a cultura é que não é. 


E, como dizia Churchill, se não é para preservar a cultura, então para que é que estamos em guerra?


No meio disto, deste pântano infecto em que parece não se perceber quem foram os incompetentes e ignorantes que conduziram este vergonhoso processo, não vou deter-me na irrelevante criatura que parece não ter sabido da coisa a tempo e horas e que, quando soube, segundo o meu marido, deve ter dito 'que se f...' - e deixou andar.




A criatura é irrelevante, não está lá a fazer nada, deve sair não por isto mas por tudo, porque não faz falta, porque ninguém no governo lhe liga patavina e porque ele próprio não se dá ao respeito. Não vale a pena perder tempo com ele. 

Eu responsabilizo por isto duas pessoas: o Primeiro-Ministro e o Presidente da República. Se não estão cá para zelar pelos interesses nacionais estão para quê?

Por mim, há muito tempo e cada vez mais, para esta gente a porta da rua é a serventia da casa. 

2 comentários:

Anónimo disse...

Oh estimada UJM,
Nada se pode esperar desses Australopithecus, o Passos e o reformado do BdP em Belém. Dois cabotinos. E do Sec. de Est. Da Cultura, aquele dos óculos também não haverá muito a esperar. Valha-nos a “Christie’s”!
Haverá que garantir é o regresso dos “Mirós” à Pátria!.
Tenha uma noite descansada, embora chuvosa!
P.Rufino

Um Jeito Manso disse...

Olá P. Rufino,

E se chove por aqui... E uma ventania, uma coisa por demais...

Sim, os Mirós, para já, parece que não vão de vela mas, com gente destas, por quanto tempo?

Agora devem ter que pagar indemnizações, já para não falar no transporte e seguros que, nisto, são um balúrdio.

Mas a questão nem é essa: a questão é que a colecção deveria ser acarinhada, exposta, valorizada. Mas esta gente ignorante nem pensa em tal coisa, só pensam é em passar tudo a patacos.

Uma tristeza.

Desejo-lhe também uma boa noite!