Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, fevereiro 11, 2019

Do congresso do partido Aliança de Pedro Santana Lopes só retive três coisas.
Melhor: quatro.



  • Primeira: a cor do partido é o azulinho bebé, justamente também conhecido por azul-cueca
  • Segunda: tem uma vice-presidente de quem o que há a referir é que é advogada da Madonna
  • Terceira: uma das representantes, lourinha, falando com sotaque ucraniano ou afim, disse que tinha aderido ao Aliança por causa da 'justiça'; e quando lhe perguntaram há quanto tempo estava em Portugal esclareceu: há 4 meses.


Tirando isso, não me lembro de mais nada. 

Ah, só se for que o homem forte às europeias vai ser o Paulo Sande que conheço das suas andanças pela comunicação e imagem. Claro que tem feito mais, incluindo assessorar o Prof. Marcelo, mas disso e do resto não posso falar. Mas posso de o ter ouvido falar em como bem embrulhar o produto, em como bem comunicar em período de crise, etc. E lembro-me de, vendo-o sempre com aquele seu sorriso blasé a dizer banalidades como se fossem coisas importantes -- que ele, justamente por ser blasé, não valorizasse convenientemente -- ter pensado: se o dinheiro fosse meu, não gastava um chavo com este. Apesar de o reconhecer como bem apessoado, bem vestido e bem falante, sempre o achei um saquinho saco cheio de  vento.

Temos, pois, a trabalhar ao lado do grande especialista em fake news, um boateiro avant la lette,  um expert na mui oportuna arte de saber vender o peixe, seja ele peixe fresco, peixe usado ou nem sequer bom para o gato vadio.

6 comentários:

Anónimo disse...

UJM, então fala disto e nada diz sobre o momento histórico que ontem se viveu em Portugal? A festa da vida? A alegria do povo? O triunfo dos jovens lutadores? O glorioso mar vermelho que tudo levou à frente? Dez, UJM. Não foram oito, não foram nove. Dez. Dez razões para hoje os portugueses acordarem um pouco mais felizes. Viva a vida!
Um abraço
JV

Um Jeito Manso disse...

Olá JV,

Apanhou-me desprevenida. Li o comentário e fiquei a pensar que não estava a perceber bem. 10 golos do Benfica? Não podia ser. Alguma outra coisa importante que estava a passar-me ao lado. Até que confirmei. Uma chacina. Não se faz....

Mas, embora o meu coração puxe para os verdes de Portugal, tenho que lhe dar os parabéns.

Mas olhe que foi obra do acaso, não embandeire em arco... ouviu....?

Abraço verde e vermelho, JV!

Anónimo disse...

A UJM é puxada para lados verdes pelos homens que a oprimem, talvez logo o seu pai, o seu marido alagartado, sem dúvida! ;) Empodere-se, UJM, liberte-se desse jugo e descubra o lado luminoso do Vida!

Mais a sério. Todo o português devia ler a história do Benfica - ou simplesmente a história (a epopeia!) dos estádios do Benfica. Leia, UJM, como durante décadas, já campeões, já os maiores, já no coração do povo, já no espírito de todos quanto amam o próximo, éramos ainda sem-abrigo, sem viscondes que nos construíssem ou emprestassem estádio. Leia como nos víamos forçados a arrendar o campo que o verde rival tinha em excesso e não precisava para os nossos campeões terem onde jogar. Leia como, ainda assim, ganhávamos. Leia também como nos expulsaram das Amoreiras, onde tínhamos, com suor e lágrimas, finalmente construído o primeiro estádio que era nosso. Leia como foi, finalmente, a construção do (velho) Estádio da Luz em 1954. Como as pessoas enviaram sacas de cimento em camiões vindo de todo o país para a capital. Como as pessoas deram os seus bens para o Benfica os leiloar em campanha de obtenção de fundos para a construção, que depois elas próprias compravam; voltando, de seguida, a doá-los para leilão. Leia como as pessoas pagavam para elas próprias puderem pegar na pá e enxada usadas nas obras de edificação. Leia como, com todo esse enorme esforço coletivo, o estádio foi construído sem deixar um centavo de dívida ao Benfica! Como não ser do Benfica depois de conhecer a nossa história?
Isto é só um cheirinho: https://www.slbenfica.pt/pt-pt/slb/historia/estadios-anteriores/historia-dos-estadios
Há um episódio da excelente série documental Vitórias & Património dedicado exclusivamente à história dos estádios do Benfica - é a maior empreitada coletiva da história nacional, julgo. Não tento exagerar: outras empreitadas assim - voluntariamente coletivas, que não forçadas como o Palácio de Mafra - não me ocorrem.
Abraço!
JV

Um Jeito Manso disse...

JV, vibrante benfiquista,

Com esse entusiasmo todo, com toda essa emoção, quase fico tentada a bandear-me para o clube do meu filho...

Tenho que me informar melhor mas empreitada colectiva, todos os anos, não há que considerar a Festa do Àvante? Lá vermelha é ela.

E vou mesmo saber mais da história do seu glorioso, parece ser inspiradora.

Abração, evangelizadora JV!

Anónimo disse...

Evangelizadora me confesso :)
Bem lembrado o Avante: é, de facto, uma festa vermelha e onde há muito voluntariado (inclusive de funcionários da Câmara em serviço...).
IMO, porém, não se compara à construção de um estádio (!) praticamente só com base em contribuições, em dinheiro, em bens e em trabalho, por parte de sócios e adeptos.
Grande abraço
JV

Anónimo disse...

https://www.slbenfica.pt/pt-pt/slb/historia/estadios-anteriores/estadio-das-amoreiras

https://www.slbenfica.pt/pt-pt/slb/historia/estadios-anteriores/estadio_slb