Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quinta-feira, maio 24, 2018

Casamento real - o que eles disseram.
Não um... mas... dois vídeos reveladores.

[Uuuupsss... talvez não tenha sido bem aquilo...]


Há aquela pancada de, nos treinos ou nos intervalos dos jogos de futebol, a maltosa falar com uma mão à frente da boca para os jornalistas ou gente mais esperta que os repórteres desportivos não conseguirem descobrir o que estão a dizer.

Não sei se os deputados também não fazem isto. Provavelmente fazem. Como dizem coisas muito interessantes, quer uns quer outros, mas são modestos, não querem que a gente lhes conheça as elevações.

Ou isso ou são paranóicos. Ou convencidos. Ou, simplesmente, meio parvos.

Whatever. 

Por mim, podem eles estar descansados: não apenas não acerto uma como me estou nas tintas para o que dizem. Até porque, ao longe, não vejo bem. Quando tenho reuniões em salas grandes, se calha algum colega que esteja do lado de lá da mesa, em especial se está longe, pôr-se a falar comigo por mímica, pondo-se, discretamente, a dizer qualquer coisa através de movimentos labiais, fico toda atrapalhada: primeiro, não distingo, com precisão, as ditas labiaduras; segundo, começa a dar-me vontade de rir. 

Mas vontade de rir mesmo, são estas duas cenas que aqui abaixo: descobrir palavras cuja labiagem bate certo e, na verdade, ser tudo completamente ao lado.

William, Harry, Meghan, o Bispo, a Maestrina, as reacções da realeza... uma graça a pretensa reconstrução do que disseram ou cantaram durante o real casório. 

Casamento real - Uma leitura labial errada




ou


__________________________

E, finalmente, eis as duas fofésimas e simpatiquérrimas manas catatuas

(mas tadinhas, isto foi noutra festarola, não nesta)


...................................................................................

As fotografias aqui apresentadas, todas elas, também são, obviamente, uma paródia.

.............................................................