Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sábado, abril 14, 2018

Homens para todos os gostos.
Dentro do género, claro está.



Depois de um diazão recheado de temas e temões, cada um mais cabeludo que os outros e de, a fechar e até às tantas, um valente pepino -- em que o que o salvou foi que o fatiámos em cenas macacas, envolvendo grandes galhofas metendo gente a sair do armário e trocadilhos sobre procedimentos relativos a violações e consentimentos (de dados pessoais, whatelse?) -- chego a esta avançada hora sem vontade de escrever, pensar, ler, ou, sequer dormir.


E o que procuro, para lavar a mente, é qualquer coisa na base da agulheta. Ou seja, sem filosofia, biologia, astronomia ou poesia que o perturbe. Coisa mesmo de rajada para desimpedir os neurónios, para empurrar, na base do chega-para-lá sem dó nem contemplações, qualquer vestígio de regulamento, sentimento ou pensamento. O que eu já para aqui vi. Só visto porque nem contado. Cada maluqueira mais destravada que as restantes. Mas agora, para aqui partilhar convosco, noblesse oblige, escolhi coisa atilada: um show mostrando do melhor que há a nível de looks masculinos. Claro que a amostra revela um gosto algo limitado mas, enfim, quem sou eu para dar lições de gosto nestas matérias? 

Se no Governo-Sombra do Rio o que ali vejo é uma predominãncia de rapaziada demasiado datada, já para não dizer vintage, ou mesmo, quase pré-histórica, aqui, neste vídeo, o que vejo, para além das meninas, são rapazinhos muito verdinhos, muito pré-primária. Ora, exigente que sou, não posso prescindir de uma pitada de sabedoria, duas de ternura desassossegada, três de malandrice, quatro de patine e cabelinho a mostrar que quer esbranquear (ou que já lá chegou) -- coisa assim que revele que, algures no meio da cabeça, alguns neurónios marcam presença e neurónios dos bons, dos sabidões.

Mas, na volta, é esta minha tendência para ser biquenta (biquenta ou niquenta? - a sério, não me lembro). Se bem que se, no meio do vídeo, me aparecesse aqui, numa de dengosa e bailaroca atitude, o Ângelo Correia ou outro dos jovens ministros do mangas de alpaca que veio suceder ao não-saudoso láparo, também não ia gostar.

Portanto, vou calar-me e ver sem protestar. Apreciem e juntem-se à festa, ok? E beijocas e abrações e um belo fds para ocês.



.............................