Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, outubro 31, 2016

O colorido de Coimbra by night


Gosto do entardecer e de andar na rua quando o entardecer se torna anoitecer. As luzes acendem-se, as cores vivas começam a diluir-se na escuridão, os rumores do dia dão lugar ao mistério dos vultos, o dia é devorado pela noite.

No sábado andámos pelas belas ruas de Coimbra até ser noite escura. Fui fotografando até não ser mais possível. As fotografias que aqui mostro acompanham o desaparecimento da luz enquanto íamos caminhando, as casas elegantes, as árvores, as pessoas que recebem a noite numa mesa ao ar livre. 

Depois cruzámo-nos com um grupo de estudantes com as suas guitarras, alguns ainda cantando. Outro com os estandartes. Mais atrás, sozinho, um último. Ia tocando, entoando baixinho. A noite ficou ainda mais romântica. Já não o consegui fotografar, a noite desfocou a imagem.











____

E já cá volto com a reportagem deste domingo.

E a quem aqui chegou agora sem saber que há muito mais imagens de Coimbra por aí abaixo, aqui fica o convite: das ruelas à universidade, do rio até aos diplomas ao quilo para quem quer ser doutor sem queimar a pestana, há de tudo. É só irem deslizando.

___

4 comentários:

Anónimo disse...

E até fotografou a Escola onde eu fui fazer o exame da 4ª classe!
Hoje já não deve ser Escola, mas como tem as bandeirinhas, ainda deverá ser um edifício público.
Parabéns pela reportagem. Eu que passo tantas vezes por esses sítios e às vezes nem me apercebo da sua beleza!...

bea disse...

As suas fotos estão uma beleza.

Um Jeito Manso disse...

Olá, Anónimo/a,

Era uma escola ali? Edifícios tão lindos...

Eu tenho este hábito de andar feita turista. Passo no Chiado, pela milionésima vez e vou a olhar cada coisa com surpresa, sempre encantada. Agora imagine em Coimbra onde pouco vou (com tempo)...

Obrigada!

Um Jeito Manso disse...

bea,

Thanks!