Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sexta-feira, agosto 26, 2016

O Prof. Marcelo já se pronunciou sobre aquilo do burkíni? Alguém sabe?
É importante sabê-lo.
Não vá o Costa querer emparelhar-se com o Hollande, era bom sabermos antes o que acha o nosso omnipresente, omnisciente e omnipotente Marcelo sobre tão relevante assunto.


Pronto. Não falo mais de cenas que mostrem que estou deserta para ir e férias. Falo só de uma questão que tem a ver com aquilo de que agora se fala muito: o burquíni.




Confesso que me distraí. Devia ter começado a minha dieta há mais tempo. Assim, como foi só há dias e já houve uma festa de anos pelo meio, tenho cá para mim que a coisa ainda não surtiu grande efeito. Claro que podia pesar-me. Mas poupo-me a desgostos.

Almas caridosas instalaram-me no telemóvel uma app para registar as calorias do que como e uma comparação face ao que devia para atingir um determinado objectivo. Nunca me lembro de registar. Não sou uma boa pupila para o que quer que seja.

Mas, calma aí, ando com cuidado e acho que estou a conseguir reduzir as calorias que ingiro. Contudo, sou honesta: sei que o resultado não é nada de espectacular. Se perguntar ao meu marido se já estou escultural tenho a certeza que ele vai desatar a rir-se. Por isso, também não pergunto.

Uma coisa é certa: os tais 3 ou 4 quilos, tenho a certeza que ainda não perdi. As calças já as sinto mais folgadas mas, se me vejo ao espelho, ainda me acho a atirar para aquelas lá do Rubens.


Bem, também não. Fui confirmar e também não tanto. Naquela altura é que gordura era mesmo formosura.

Mas também hoje a Marilyn pareceria anafadinha e, na altura, ninguém olharia depreciativamente para as suas formas generosas.


Não interessa. É comigo mesma que me comparo. E não vou conseguir pôr-me como eu queria antes de ir de férias. E essa é que é essa e o resto é conversa.


Por isso, pensei que, para a praia, uma solução para ocultar a minha carnadura seria o burkíni. Eu, que sou do mais encalorado que há e que só me sinto bem à fresca, até estava numa de me sacrificar e apertar-me dentro de um modelito preto porque com um modelito preto eu nunca me comprometo.


Mas, depois de ouvir o Valls e o totó do Hollande e de ver polícias pela praia à cata de mulheres que não estejam descascadas, já vacilo. É certo que cá ainda não há cá disso, cá é mais à cata de facturas de bolas de berlim que eles andam. Mas sei lá.


Em França obrigam-nas mesmo a descascar-se, deixando à mostra pneus e papos - uma indecência...!

De qualquer maneira, era importante que a TVI se pusesse em campo e soubesse o que tem o nosso afectuoso presidente-comentador a dizer sobre o assunto. Ele que a toda a hora nos aparece casa adentro a falar de tudo, a opinar, a comentar, a abraçar-se e a beijar novas e velhas, casadas, solteiras, divorciadas e viúvas, enquanto manda recados, ralhetes, elogios e incentivos -- já deve ter trocado uns leros sobre o assunto com a sua Rita-Casa-não-Casa e eu cá, para me afoitar a ir de burkíni para a praia, sentir-me-ia mais confortável se soubesse que o nosso fresco e fofo Marcelo não é contra.


marcelo casa ou não casa com a namorada rita?
O nosso presidente e a sua eterna namorada, ambos em fato de banho numa praia portuguesa
(casalinho a quem os tablóides e revistas do coração não conseguem empurrar para o casório)
_____

E pronto. Não deixei transparecer que não penso noutra coisa senão em férias, pois não?

_____

E queiram, então, aller en promenade avec moi até Paris. 


3 comentários:

Anónimo disse...

A minha esposa anda há uns tempos a dizer-me: a do jeito manso também se passou para o lado do marcelo. Afinal, lá veio uma mordidela. Ó ... lê isto, a ironia fina da do jeito manso. Respondeu-me, depois de ler, com um ar de desprezo: nunca li texto tão politicamente ternurento.

Um Jeito Manso disse...

Olá, Anónimo, bom dia,

Diga lá, se faz favor, à sua esposa que acho piada à hiper actividade daquela frenética criatura e à disponibilidade para andar com toda a gente sempre agarrada a ele. Mas daí a, se o visse, ir aconchegar-me num ternurento abraço já vai alguma distância.

Dito isto, acho que, com tudo o que diz e faz, tem feito equipa com o governo e tem servido de barreira contra o fogo (apalhaçado) de uma oposição tonta. Mas dito também isto, acho que volta e meia deixa que lhe fuja o pé para o sapato do comentador, esquecendo-se que já não o é. E vejo-o a opinar sobre tudo e mais um par de botas. Mas, enfim, até ver tem sido inócuo, apenas tem servido para reforçar o estilo.

E um bom dia para vocês, Leitores marido e mulher!

bea disse...

Já tinha saudade à sua prosa bem disposta e sempre a beliscar com pouca força para não aleijar ninguém.
Boas férias!