Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, janeiro 20, 2016

Debate na RTP entre os candidatos às eleições presidenciais: Paulo de Morais



De diferente em relação a aparições diferentes, tenho a destacar o facto de Paulo de Morais ter aparecido de cabelo mais aparado. Menos mal. Aquele capacete capilar distrai a nossa atenção. A mim, pelo menos, distrai: olho para ele e dou por mim a pensar que ele deveria cortar o cabelo bem curto e, se não tenho mão em mim, já estou é a tentar ver como ficaria ele de cabelo à escovinha e, pronto, deixo de o ouvir. Mas depois concluo que não perco nada porque ele diz sempre a mesma coisa.

Tirando isso, nada. Toda a gente normal é contra a corrupção, toda a gente fica chocada com contratos absurdos em que uma das partes tem rentabilidades de 20% sendo a contraparte o Estado, toda a gente quer lisura nos processos públicos. Claro. Mas se as suas ideias se resumem a isso mais vale arranjar maneira de ser convidado para ajudar o Super-Judge Alex ou o Procurador Rosarinho. De um Presidente da República espera-se mais do que alguém que ande permanentemente de bandeira na mão contra a corrupção.

Numa escala de 0 a 10, para aí um 3 ou 4. Não sei nem me parece relevante mas de certeza que o chumbava -- nem que fosse pelo cabelo.

Sem comentários: