Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, novembro 04, 2015

O rouge que me veste


Estou com uma soneira hoje que só visto, nem sei bem porquê. 

Se calhar é porque, gostando de fazer reset de vez em quando, ao longo do dia, enquanto trabalho, mal o tenho conseguido. Gosto de ter uns momentos meus para ir à copa fazer chá, dar dois ou três dedos de conversa com algum/a colega, espreitar o céu através daquela imensa parede de vidro (onde não há janelas que abram), enfim, descontrair. Pode ser uma coisa de breves instantes mas, para mim, isso é necessário. Agora quando entro numa de sessões contínuas - saindo de umas para outras, stresses numas reuniões ou telefonemas e, sem poder mudar a pilha, entrar logo noutras - chego ao fim do dia de tal maneira que, mal me sento, fico à beira de adormecer. E tenho chegado a casa tarde. Hoje já era 20:30 quando cheguei. Ainda fui dar um passeio (que não posso chamar caminhada a isto de andar pouco mais de meia hora). Com isto tudo, só consigo chegar ao pé do computador tarde e más horas e já pedradésima de sono.

Por isso, já não consigo encontrar temas relevantes, não tenho pedalada, só mesmo frioleirazinhas. No post abaixo falei de um vídeo que mostra uma sessão fotográfica engraçada e agora continuo numa de fotografias à superfície, nada de profundidades.

O tema é o baton e eu, como gosto de usar baton e, todos os dias, antes de sair de casa, consoante a roupa que visto, assim escolho a cor da sombra dos olhos e a do baton - tudo leve e discreto mas, ainda assim, fundamental - gostei do vídeo que aqui vos mostro.

Verão que é coisa também discreta e que reproduz o que eu também faço.
Se uso um rouge bem sanguíneo, bem carnudo, então, para que o conjunto não fique excessivo, vejo-me forçada a tirar a roupa. 
Quanto muito fico com o blaser. Os sapatos altos, claro está, esses nunca tiro. Sem saltos altos sinto-me nua. 
Só espero é que ninguém me filme, senão ainda me põem no Face e, num instante, a coisa vira viral.

Rouge pur couture com Cara Delevingne - The rouge that dresses me 

Yves Saint Laurent



..

E, numa de aceleração do tempo, sigam, por favor, para o post abaixo, para uma bem humorada avant première relativamente à Vanity Fair de Dezembro.

..

Sem comentários: