Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, novembro 17, 2014

Miguel Macedo demitiu-se? Era previsível. Por isso não me vou alongar e, se me permitem, continuo na onda do humor: Anúncio de emprego para loja de roupa (pretende-se alguém com força e paciência) ao som de uma brilhante interpretação de Mozart a cargo de Sara X Mills


A minha filha ontem dizia: o que eu acho é que deviam parar rapidamente as investigações senão não sobra um.

Achei graça e é, também, a sensação que sinto. Mas não só eu. A minha mãe, à noite, dizia mais ou menos a mesma coisa: uma cambada, andam a convencer-nos que temos que ganhar menos, para eles, os gulosos, andarem a meter dinheiro ao bolso.

Um tio meu, que sempre foi mais de direita, também já fala com asco de toda esta classe política que agora aparece aos nossos olhos desta forma sinistra: incompetência primária, insensatez, insolência e, pior ainda, corrupção.

Liga-se a televisão e lá estão eles e os seus defensores, uma praga:
  • Marques Mendes, usando o seu tempo de comentador, para passar certidões de bom comportamento aos amigos ou para se limpar a ele próprio, 
  • Luís Montenegro que, como diz o meu marido, anda sempre com um sorrisinho fdp de quem parece que está a fingir que não tem vontade de rir e de onde nunca sai nada de construtivo, só parlapié balofo, politiquice barata, 
  • Duarte Pacheco que parece que tenta ser um homem sério que se viu metido no meio de um gang e que parece sofrer horrores para defender o indefensável, 
  • Teresa Caeiro que esbraceja com a boca, quase parecendo grasnar, e nada dizendo de válido ou útil, 
  • e isto já para não falar em todos os outros desta maioria que apoia um governo que devia ser banido rapidamente das vidas dos portugueses, 

Tudo uma gente que não se aguenta. Ferem a nossa inteligência, atentam contra a nossa dignidade.


Este domingo, depois de ter chegado a casa vinda da casa nova-velha do meu filho - cujas reparações estão quase a entrar na recta final dos arranjos - deitei-me no sofá com a Filha do Papa enquanto esperava pela declaração de Miguel Macedo que seria daí a nada.

Mas, apesar dos dotes de Lucrécia e do Fo e da expectável relevância das palavras do agora ex-Macedo, não tardei a adormecer.

Quando vim a mim já estava o Ricardo Costa a dizer que o que era importante não era o que os outros comentadores tinham dito mas sim o que ele ia dizer. Espantei-me (não com as palavras do Ricardo, que sabe sempre mais do que os outros, mas com aquela gente ali toda já a opinar). Mas o Miguel Macedo já tinha falado? O meu marido esclareceu que sim e que não tinha dito nada de mais, apenas que já tinha dado para este peditório e obrigadinho que tinha mais que fazer.

Pronto. Menos um. Depois ainda ouvi o Sócrates e um bocado do Marcelo. 

Mas esta conversa já me cansa porque um País não anda para a frente nem dá alegrias ao seu povo com gente como o Láparo Agarra-Ministros, o irrevogável vice-Portas ou o C-Rato, o Pintas de Lima, a Loura da Cruz, a Desaparecida Cristas, a mulher do Toni Alburcas e outros que tais - e tudo o que uma pessoa diga a mais do que isso é chover no molhado.

Quando agora me sentei aqui, maçada com esta actualidade que mais parece um alguidar de água infecta e choca, fui espreitar o correio e um mail salvou a minha disposição. Depois, lembrei-me de outro que tinha recebido há dias, um belo apontamento musical e que me pareceu fazer um bom pendant com este de hoje. E é isso que aqui vou divulgar.


Sara X Mills esclarece que não tem cordas nos generosos seios, apenas silicone, e que o que se adiante se verá não é truque, é coreografia genuína. A música é Eine kleine Nachtmusik numa interpretação de 1936 da Orquestra Filarmónica de Viena






Ora bem. Ao som de Mozart, passemos então ao Anúncio para Emprego

Oferta de trabalho 

PRONTO-A-VESTIR, SECÇÃO DE PROVAS.

EXIGE-SE: 9º ANO, EXPERIÊNCIA, FORÇA E PACIÊNCIA. 





Remuneração em função dos resultados obtidos.


.....

Sem comentários: