Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

segunda-feira, outubro 13, 2014

THE FIFTH ESTATE - Julian Assange e Benedict Cumberbatch


Um filme que começou a dar que falar ainda antes de ser lançado e, do que leio, se viu sempre rodeado de controvérsia. A pessoa sobre quem assenta o filme não gostou do argumento e não quis falar com o actor. O actor quis falar com ele antes de fazer o filme, como tantas vezes acontece quando o argumento versa sobre alguém que existe e está vivo, mas não conseguiu e, sobre as críticas do personagem real, diz que um filme é um filme é um filme.

O filme é The Fifth Estate, a pessoa é Julian Assange, o actor é Benedict Cumberbatch e a história gira em torno das WikiLeaks e de tudo o que vieram revelar: os segredos, o acesso indevido à informação, a intromissão dita legítima, a violação do suposto sigilo, a ténue linha que separa o direito à informação do direito à privacidade.


Não o vi e nem tenho ideia de o ter visto por cá mas terei que ver se o descubro em DVD (apesar de dizerem que foi patrocinado pela CIA).






Em 2010, uma organização sem fins lucrativos de nome WikiLeaks divulga, através do seu "website", milhares de documentos relacionados com a política externa dos EUA, a guerra no Iraque e vários outros assuntos do foro da diplomacia internacional. 


Este facto, hoje considerado a maior fuga de informação da História, colocou governos, autoridades públicas e empresas multinacionais sob uma clara ameaça. 

Tudo começa quando Julian Assange e o seu colega Daniel Domscheit-Berg (Benedict Cumberbatch e Daniel Brühl) se juntam para vigiar anonimamente algumas das pessoas mais poderosas do mundo. Com isso em mente, decidem criar uma plataforma única que permita a qualquer cidadão publicar segredos ou crimes, sob anonimato. Rapidamente as suas publicações começam a ter mais relevo e credibilidade do que os próprios meios de comunicação convencionais. Porém, conscientes de que deram início a uma revolução, Assange e Berg depressa entram em litígio e se questionam sobre os custos, económicos ou humanos, de expor determinadas verdades.


:::

Sem comentários: