Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

quarta-feira, julho 09, 2014

Reportagem fotográfica da primeira visita oficial dos Reis de Espanha a Portugal, o protectorado do vice-irrevogável (que não consegui ver por lá).


Estou cheia de pena, cheia, cheia. O meu filho falava-me há bocado no tanque que era a equipa alemã e, quando o disse ainda a coisa ia em 5 a 0. Mas agora que já vai em 7 a 1 nem sei o que dirá ele: bomba atómica..? Que pena dos rapazes, coitados. Ninguém merece uma humilhação destas.

Bom, adiante que eu de futebol não sei nada.

No post abaixo já vos mostrei uma fotografia em grande plano de Letizia: dá para ver em pormenor como é que ela se maquilha e é uma perfeição. Claro que a beleza dela e a qualidade da pele e do cabelo ajudam muito mas, ainda assim, é uma lição de bem maquilhar.

Mas se abaixo a coisa se foca na beleza, aqui, agora, a conversa é outra, um bocadinho outra. Um bocadinho porque, com diminutivo, talvez custe menos.


Ora vejamos o que é que temos aqui.

Mas ao som de Marisol, por supuesto.



Ha llegado un Angel




O Rei de Espanha a fazer de conta que não reparava
no pernão da Sum-Sum
e a Rainha a interrogar-se mentalmente
porque teria ela que estar ali naquele cenário do século passado
.
.

A nossa inconseguida Sum-Sum Esteves desta vez armou-se em woman in red, pernoca ao léu, dressed to impress


Mas é bizarra demais, aquela cabeça espetada, aquela pose, tornam-na uma figura que se presta à caricatura. Resta saber o que disse. Às tantas, a indumentária ainda foi o menos. Imaginem se desatou com aquela conversa do soft power e mais não sei o quê...

Os Reis de Espanha com Assunção Esteves
(que parece estar a pedir uma esmolinha)

.
Na fotografia sentada, não se percebe bem o modelito da Sum-Sum mas, quando está de pé, a gente vê que a toilette também resultou inconseguida. Uma verdadeira frustação inconseguimental.

O cabelinho, a expressaozita, o casaquinho, tudo é coitadinho, parece que está naquela, desculpe lá qualquer coisinha, ó senhor meu rei...

O Rei olha para ela com espanto, parece nem saber bem o que dizer, se lhe há-de dar uma peseta se lhe há-de pôr uma chucha a ver se ela não chora..

A Rainha faz como eu: olha para o lado a ver se não encara. Na volta padece do mesmo mal que eu, tem pavor de desatar a rir perante situações assim.

A pobre da Letizia não teve a vida facilitada nesta visita. Como ontem vos mostrei, ia ficando sem mão, com o Cavaco a lambuzar-se nela.
O meu marido diz que o homem estava era com raivinhas (como o nosso bebé que, quando tem os dentes a nascer, morde tudo o que lhe passa por perto). 
Depois ainda teve que passar pela provação de ter pela frente uma inconseguida que não diz coisa com coisa. Se à Sum-Sum lhe deu para falar em espanhol, então faço ideia o espectáculo.

Os Reis de Espanha com o Casal Coelho

.

E ainda teve que ouvir a D. Laurinha a ensinar-lhe com pormenor e linguagem gestual a receita das farófias. 


Letizia nem queria acreditar quando a D. Laurinha defendeu que as queijadas que o marido faz são ainda melhores que as de Sintra. Pela expressão corporal, a gente consegue adivinhar o pensamento da Rainha: 'Não acredito no que esta me está a dizer... Pleeeaase... Tirem-me deste filme...!'




Cavaco Silva largou a mão da Rainha para logo se agarrar ao cotovelo.
 Senhores, que melga.
.

Já para não falar do Cavaco, armado em babaca, todo derretido, sempre a agarrar-se à rapariga, a parecer um velho babão. 

Joana Vasconcelos, a artista plástica do regime,
sempre a inovar nas toilettes


(O azul da esfregona 
quase coincide com o azul do fato de Letizia 
mas o bracinho cor de rosa faz a diferença)


E tudo sob o olhar baboso da D. Cavaca. A moça está mesmo 'Pleaaasee, deixem-me em paz...' ou 'Mas este não me larga... Pleeaase, atem-no, tirem-no daqui. E as gracinhas que diz... e o sotaque, senhores, a querer falar espanhol... pleeeaaase... poupem-me...'

Mas a coisa não se ficou por aqui.

Não sei se a Kátia Guerreiro, de saia rodada, xaile pelas costas  e sorriso embevecido, também por lá andou mas a Joana das Pegas e dos Tachos não faltou.


Desta vez não foi vestida com uma colcha, nem com um espanador na cabeça nem sequer mascarada de bicho exótico.


Não senhor, desta vez Joana Vasconcelos foi menos elaborada: foi de simples esfregona. 


Pela fotografia não consigo ver se a coisa ia até aos joelhos ou se ia de mini-saia, uma coisa mesmo na base da Vileda. 

Pela expressão do Cavaco, com dentinhos de fora, teme-se o pior relativamente ao que estaria a dizer. Uma gracinha foleira, certamente. 

Enquanto isso, gabando a Vasconcelos, a D. Cavaca dizia a Letizia 'Quem a vê ninguém diz mas é uma mãos de fada. E os tachos dela...? Areados que dão gosto'.



_


E assim se passou a primeira visita de Felipe e Letizia, Reis de Espanha, a este protectorado. Só sinto falta, nesta minha reportagem fotográfica, do Caniche Miró. Será que não se apresentou para abrir a porta dos palácios?


_


E entretanto acabou o jogo Brasil-Alemanha, um resultado humilhante, um mineiraço desgraçado: quando o apito final soou, primeiro os jogadores brasileiros rezaram e, depois da oração, caíram na maior choradeira. O meu marido disse, dantes os jogadores de futebol eram do tipo machão, agora são do tipo sensível.


A seguir o Felipão apareceu com a conversa mole do costume. Espremi e não deitou sumo.

Agora tenho o treinador alemão aqui na sala, um sujeito entre o sinistro e a esquisitinho, uma franjinha para o suspeito. A conferência está a ser dublada e a coisa soa ainda mais estranha.

Mas eu, como não acompanho estas coisas, não sei qual a moral da história.

_


(As fotos da visita real foram obtidas aqui e ali, nomeadamente na !Hola! - e eu devia ser capaz de virar o ponto de exclamação de pernas para o ar mas não sei como se faz).

E, agora que falo de ponto de exclamação, ocorreu-me que, em tempos, parece que andou por aí uma cabala contra os pontos de exclamação. Tenho ideia que os intelectuais achavam que isso das exclamações - muita pontuação, muita emoção - era coisa de gente brega. Já com os advérbios de modo parece que é a mesma coisa, um encanitanço dos diabos. E eu, que passo os meus dias no meio dos números e no meio de gente que nem uma vírgula sabe usar quanto mais aconselhar-me nestas minhas dúvidas linguísticas, leio a gozação dos intelectuais e fico a pensar: ó com o caraças, mas como é que eu, plebeia das letras, me vou expressar por escrito sem usar pontos de exclamação ou advérbios de modo? Se ninguém me vê a rir, se não vale a pena gesticular, se bem posso dar murros na mesa que ninguém me ouve... como vou fazer para a escrita soar expressiva, e não parecer escanzelada, pele e osso, pãozinho sem sal...? E estou a escrever isto e a pensar: na volta até as reticências são enfeite desnecessário.

Mas adiante.

_


E olé! que se faz tarde.




 Suite Sevilha pela Companhia de Dança Antonio Navarro

___


Meus Caros, hoje fico-me por aqui. Pus-me a responder a mails, tinha uns poucos - e, mesmo assim, não consegui responder a todos - e agora já estou cheia de sono. Tenho aqui umas anedotas e umas notícias parvas para comentar mas estou pedradésima, mesmo a precisar de ir descansar, já não dá para fazer mais nada por aqui. Também queria dar uma folheada num livro que comprei e que está a despertar a minha curiosidade mas acho que nem isso.

Desejo-vos, meus Caros Leitores, uma bela quarta feira.


7 comentários:

Anónimo disse...

A descrição desta visita, que aqui nos faz, é de ir ás lágrimas! Rebolei a rir! UJM tem um sentido de humor extraordinário!
P.Rufino

FIRME disse...

Bom o caniche,naõ está na foto,mas o pelo está bem visível,no alto da ilustre,tólinha !!!

Concha disse...

Uma rainha,é sempre uma rainha!Para quê vestir a cor da paixão, ou então usar o estilo mais "prático",tipo o dois em um da esfregona?Sem estilo ou arte que nos valha, seremos sempre iguais a nós mesmos...

lino disse...

Grande noite da má língua! :)))
Beijinho

FIRME disse...

Hoje,vi o meu comentário e só vos peço 1 coisinha;retirem o acento tónico no ó da tólinha...

FIRME disse...

Do fundo do meu ego.. vos digo; É reconfortante,ser um dos que por aqui,sente gRRRRRRRRRRANDE conforto! Obrigado,por quem sois !!!

FIRME disse...

O escuteiro mor do reino em vigor,explicou-me minunciosamente,por que diacho o vice portas,não esteve presente em tão célebre,ebento(é com"V"...)ok!!! Então não é que o nosso man?,estava afinal a acalmar a nossa real realeza,pelo facto(eu respeito ...o NAO,dos herdeiros da nossa real coroa!!!( tarefa mui difícil,só ao alcance de aldrabões) E EXPERIMENTADOS!!! PORTAS: ESTEJAI DEVERS SOSSEGADOS...a vossa real coroa está háaaaaaaaaaaaaaaaaaaa,3 anos ,pendurada numa agência ,fora do país !sossegai-de potanto...Diz D.PIO PRÁ ISABEL: O único problema é a vossa filha...noéminha!!!