Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

sexta-feira, maio 09, 2014

O ministro que saíu à caça de ursos e se deu mal (enfim, 'deu mal' digo eu) /// E, a propósito de ursos, o urso que escala grandes rochedos como se estivesse a fazer free solo


Depois do cão misógino (ver, por favor, o post abaixo), agora os ursos grandalhões e felpudos.

A história é conhecida e contada em mais do que uma língua. Quem a conta, adapta-a às circunstâncias locais.

Do vendaval Lídia recebia-a eu personalizada. O caçador, na sua versão, não é um qualquer, não, é um certo ministro, nome todo por extenso para que não fiquem dúvidas, pessoa a quem ela diz conhecer desde longa data.

Mas eu sou uma moderada. Não quero alimentar fuchicos ou egos vaidosos, olha para mim tão valentão a caçar ursões, ou a ter blind dates nos caminhos das florestas. Não, não vou nisso. Por isso, conto a história mas sem nomes. Cada um que veja em quem encaixa ela melhor.


Música para caçadores, se faz favor

A la chasse au dahut





Um certo ministro bem nosso conhecido começou a dedicar-se à caça e, com a sua conhecida mania das grandezas, em vez de se dedicar às lebres ou às perdizes, resolveu ir ao Alasca, caçar ursos.

Depois de vários dias à espreita, avistou um urso grande, apontou e abateu o animal.

Estava a pular de alegria, quando sentiu uma pancadinha no ombro. Era um urso maior ainda, sacudindo a cabeça em sinal de desaprovação:
- Não deverias ter feito isso - disse o urso. Mataste um dos meus semelhantes, e agora vais ter de pagar. Preferes morrer ou ser violado?
Diante das circunstâncias, o ministro escolheu a segunda alternativa, entregando-se ao animal.

Sobreviveu, mas jurou vingança.

Um ano depois, voltou ao Alasca disposto a matar o urso que o violentara.

Avistou-o, apontou e abateu-o com um único tiro.

Logo sentiu uma pancadinha nas costas.

Era outro urso, muito maior do que o que ele tinha morto.

O bicho repetiu o discurso do ano anterior:
- Mataste um dos meus semelhantes e vais ter de pagar. Preferes morrer ou ser violado?
O ministro nem queria acreditar naquilo! A cena repetia-se! Jurando vingança, entregou-se ao animal monstruoso.

No ano seguinte, sedento duma desforra, voltou ao Alasca.

Avistou o gigantesco urso, apontou e abateu o animal com um tiro certeiro.

E sentiu outra pancadinha nas costas.

Era um urso descomunal, que disse:
- Diz-me a verdade, tu não vens aqui para caçar, pois não ?


*  *   *

Também enviado por um Leitor, desta vez o que se intitula Bob Marley e a quem igualmente agradeço, recebi um vídeo extraordinário. Um urso escala um rochedo:  Santa Elena Canyon. Relembra ele que parece que está a fazer free solo. Pois é. Fantásticas imagens.




*


A música lá em cima vem no seguimento de uma outra que a Leitora Lídia me enviou há dias e é Les Compagnons du Musette - La drollière

*

Sem comentários: