Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

Actualidade, livros, árvores, amores, ficções, memórias, maluquices, provocações, desatinos, brinca

terça-feira, fevereiro 04, 2014

Mulheres ciumentas são fogo . [O Barack Obama que o diga que já nem deve saber para que lado se há-de virar com os ciúmes da Michelle]


Depois de, no post abaixo, vos ter deixado com oportunos sinónimos enviados pela Lovely Lídia, agora aqui deixo-os com uma anedota que ela me enviou. A seguir, teço uma série de considerações e falo da mais recente fofoca. Sou opiniosa e cusca, que hei-de eu fazer?

///////\\\\\\\


MENSAGENS TROCADAS ENTRE MARIDO E MULHER


Marido:
- Fui atropelado na saída do escritório. A Paula trouxe-me ao Hospital. Estive a fazer exames até agora. A pancada na cabeça parece que não causou lesão séria. Mas tive uma fractura feia na perna direita e talvez tenha que amputar o pé.

Esposa:
- Quem é a Paula?

\\\\\\\///////


E, sabido que é que sou dada a relambórios e post quilométricos, para este postezito não ficar muito pequenino, junto três imagens que falam por si. 





Há mulheres doentiamente ciumentas, que em tudo vêem indícios de traição. Não é bom isso, especialmente para as próprias.

(Até porque isso vai fazer com que o companheiro passe a ser mais cauteloso e, portanto, se torne mais difícil de apanhar)






Isto aqui ao lado, de uma mulher ciumenta fazer uma investigação melhor que o FBI, é um facto. 


Tenho na família mulheres que, a partir de simples e aparentemente inócuos indícios, conseguiram descobrir traições e, inclusivamente, apanhar o marido praticamente com a boca na botija. Uma mulher ciumenta parece que fica possuída, mas possuída a sério, coisa mesmo de ficar com poderes incomuns. Um homem que ande a pular a cerca e perceba que a mulher está desconfiada, mais vale pôr as barbas de molho: mais tarde ou mais cedo vai ser apanhado. E, enquanto isso não acontecer, a mulher vai vasculhar toda a vida e todos os hábitos da sua rival e só não lhe fará a vida negra se tiver uma grande força de vontade. 

Uma mulher ciumenta é um perigo.



Uma mulher ciumenta torna-se má, incompreensiva, a sua tolerância baixa para grau zero. Nada a fazer. Uma mulher ciumenta é uma espinha na garganta do marido, uma bolha no pé. Faça o homem o que fizer, vai ter a mulher à perna. Pode o homem julgar que lhe está a dar a volta, que se anda a portar bem e que a mulher se tranquilizou. Engano. Uma mulher ciumenta não dorme, não dá tréguas, uma mulher ciumenta não vai descansar enquanto não tirar tudo a limpo, enquanto não juntar provas, enquanto não se vingar. 

Pode dizer-se que uma mulher ciumenta o é porque é insegura. Não sei. Isso já é psicologia a mais para mim. Eu só sei o que vejo e o que vejo é que qualquer homem, se for inteligente, nunca dará motivos à mulher para que ela sinta ciúmes.




*

A mais recente ciumenta enfurecida parece ser Michelle Obama que, perante o encantamento todo sedutor do sexy Barack com a ministra dinamarquesa no funeral de Mandela, quando tiraram a famosa selfie (com o Cameron a colar-se), não apenas se passou dos carretos como se pôs de novo em guarda. Parece que, já há uns anos atrás, ela o tinha avisado mas, qual quê, o poder dá muita pica e a adrenalina puxa para o pecado. O certo é que ela ficou brava.


E mulher em guarda que se preze, se vai à procura, encontra. E encontrou. Aparentemente os Serviços Secretos andam a encobrir um (ou mais?) affair do Presidente. Não sei se a coisa se passa na Sala Oval, se mete charutos ou vestidos azuis. A Casa Branca, tal como o Eliseu, são férteis em puladas de cerca e tudo é de esperar dos Presidentes que por lá passam.

Mas a Michelle tem ar de ser temível e ginástica não lhe falta para lidar com a situação. Consta que já dormem em quartos separados e que a coisa está por um fio. Pode ser que o casamento se aguente até ao fim do mandato mas o sexy Barack que se cuide. Não sei não. Eu, no lugar dele, tinha medo. É que ela, quando abre a boca e franze o sobrolho, fica com um ar ameaçador.

*

Relembro:  significados é com a Lovely Lídia. Já aqui abaixo.


2 comentários:

Anónimo disse...

Isto do ciúme é uma chatice. Tem muito de insegurança. Acho que sim. Um tolo de um conhecido meu, disse-me um dia: “sabes, a Beltrana (a mulher) tem ciúmes de mim, não achas o máximo? Um tipo sente-se superior, hem?” – há uma frase, que aqui não se pode dizer, que se atira para cima deste tipo de criaturas, convencidas e imbecis. Mas, a vida é assim, está cheia delas. Acho, todavia, talvez por histórias que conhecemos, que as mulheres são melhores no engano. Traiem-se menos. É mais difícil apanhá-las em falso. Assim consta. Os homens, muitas das vezes, parecem uns rapazes. Mas, há os que a sabem toda. Nestas coisas não meto prego. É assunto que respeito. Cada um ou cada uma trata de si. Já tive, a contragosto, de dar opinião. Pois bem, inspirei-me nos políticos e disse, mais coisa menos coisa: “e tenho dito, dou o dito por não dito, fica dito!” Um dia, já lá vão uns anos, dei de caras, num restaurante em Lisboa, ao almoço, com um amigo acompanhado de uma “piquena”. Como não deu para nos evitarmos, cumprimentámo-nos. Somos gente educada. Nada de perguntas, nada de apresentações, mas aquela mãozinha (de mel) que ela tinha em cima da dele, não me escapou, embora ele não tivesse percebido. E como já vou tendo o rabo azul como o dos babuínos, estas coisa, instintivamente, observo-as. Tenho um coração grande para compreender o pecado. O mundo, todavia, é malandro. E assim, por razões que só o Diabo sabe explicar, dou um dia, de caras com a “mãozinhas de mel”, por razões profissionais. Como era simpática, bonita e ecudada, o três qualidades a que sou sensível, lá acabei por aconselhar a “piquena” (uns belos 40entas – tal como um bom Douro na sua plenitude), quando ela me tocou no assunto, por eu ser amigo do meu amigo e “amigo” dela: “olhe, oh Genoveva (chamemos-lhe assim), você conhece a mulher dele?” – “Que não, não conhecia”. Uma resposta que era de esperar. “Então, minha cara, nem queira conhecer! Aquilo é pior do que a sogra do Diabo! Se ela descobre, fuja para a Serra da Estrela!” E desejei-lhe “felicidades”. Algum tempo passado, o casamento manteve-se e mantêm-se, a “Genoveva” está noutra, sempre atraente, com alguém por aí conhecido, e parece que não se registaram estragos. Por um triz, pois aquele meu amigo era um adúltero principiante. Já estivemos juntos em jantares e aniversários. Nada como ver a felicidade no rosto dos tótós. Isto há gente muito engraçada!
P.Rufino
PS: eu cá, compreendo o Obama. Com uma mulher daquelas, tipo dominatrix, o melhor é desaparecer para bem longe. Talvez para a Dinamarca!

Um Jeito Manso disse...

Olá P. Rufino,

Os ciúmes podem dar cabo de uma relação. Tenho observado como é uma coisa que mina a relação. Coração ao largo é o melhor que há. E, quando assim é, havendo liberdade, já não haverá tanto aquela vontade de pular a cerca.

Tenho presenciado de perto situações de ciúme, de adultério, de maridos a enganarem as mulheres com uma pinta que só vista. E um dia, ao regressar de férias, havi auma novidade que deixou toda a gente pregada ao tecto: uma chóninhas, com o arzinho mais totózinho do mundo, tinha deixado o marido para se 'juntar' com um colega, outro totózinho, com quem mantinha um caso há anos nas barbas de toda a gente e sem que ninguém desconfiasse.

Quanto à Michelle eu até lhe acho piada, parece ser toda afirmativa e tem carisma. Mas ele tem ar de ser um malandreco, danado para a brincadeira, e ela nisso, de facto, não tem ar de ser pêra doce.

Quanto à Genoveva, bem, ele há muitas por aí, disponíveis para as oportunidades que vão aparecendo.

Enfim, open mind é o que, de facto, é preciso...!